Home Sobre Mim Resenhas Colunas Contato Parceiros

Resenha: Nossas Horas Felizes


Título: Nossas Horas Felizes • Autora: Gong Ji-Young • Editora: Record • Páginas: 280 • Ano: 2017

 Eu confesso que quis esse livro só por causa da autora ser coreana, simplesmente porque eu gosto bastante de histórias asiáticas, mas eu não estava preparada para o que eu encontrei nesse livro e mesmo agora, depois de ter concluído a leitura faz alguns dias, eu me sinto impactada pela história.
 É difícil falar sobre esse livro, mas uma das palavras que posso usar para defini-lo é Cruel, pois é realmente doloroso acompanhar essa história e eu senti meu coração apertado durante toda a leitura, mas por outro lado também posso defini-lo como um livro incrível e isso é do começo ao fim.


 Em "Nossas Horas Felizes" vamos conhecer Yujeong, uma jovem rica, linda e inteligente, mas que se sente tão infeliz ao ponto de querer morrer, tanto que agora está se recuperando de sua terceira tentativa de suicídio. 
 A pessoa em que Yujeong mais é apegada é Monica, sua tia que é freira e que faz trabalho voluntário toda semana indo visitar presos que estão no corredor da morte e por conta do ocorrido com a sobrinha, Monica pede para que ela comece a acompanhá-la nessas visitas semanais.
 Yujeong decide aceitar, pois não quer fazer terapia e essas visitas serão feitas para Yunsu, um homem acusado de estuprar e assassinar uma jovem de 17 anos, e ele não se mostra nenhum pouco arrependido.
 De início Yujeong se identifica com Yunsu, mas ao saber o que ele fez só consegue sentir raiva. No entanto, com o passar do tempo ela vai conhecer um pouco mais sobre esse rapaz e perceber que por trás de toda essa crueldade e raiva que ele demonstra, há muitas coisas escondidas, principalmente uma alma muito machucada, assim como a de Yujeong e talvez ela não tenha errado ao pensar que eles são parecidos.

"- Depois que a senhora me disse que encontrá-la não queria dizer ter que me converter, pensei bastante. Para ser franco, não preciso de religião. Não acredito em nada também. Vivi bem até agora sem isso. Bom, não, não vivi bem. Vivi como um cachorro, na verdade. Mas, se realmente existe um Deus, um Deus do amor e da justiça, então eu não teria virado um assassino."

 Esse é um livro que aborda temas muito difíceis e dolorosos como: o suicídio, a falta de uma família, abusos sexuais, traumas, entre outros que irão fazer com que o leitor sinta um misto de sentimentos e reflita muito.
 Mas ele também traz a tona um tema polêmico, que é a pena de morte e a forma como esse tema foi desenvolvido fará o leitor pensar muito sobre o assunto e debater consigo mesmo o que é certo e o que é errado.
 Outro ponto extremamente interessante é que a freira Monica, tia de Yujeong, visita esses homens do corredor da morte só com o objetivo de tentar trazer paz para eles, ela não os julga pelo o que fizeram, na verdade ela nem ao menos se interessa pelo o que eles fizeram, só os vê como humanos que erraram e precisam ver que merecem perdão.
 E isso vai mexer profundamente com o leitor, pois pode acabar indo contra tudo o que o mesmo acredita e é difícil aceitar Yunsu pelo o que ele fez.

"Neste mundo onde todos são loucos por dinheiro, dinheiro, dinheiro, a morte provavelmente é a única coisa que nos permite rir dele, e todo mundo tem que encará-la ao menos uma vez."

 O narração do livro é dividida entre Yujeong e Yunsu, sendo que a parte de Yunsu são textos curtos de seu diário e com essa forma de narrativa o leitor vai ter a chance de conhecer os dois personagens.
 Yujeong sempre foi uma garota bonita, inteligente e rica, até mesmo foi cantora por algum tempo, mas um acontecimento do passado acabou mudando toda a sua vida, algo que a machucou muito e que sua família não deu muita atenção, principalmente sua mãe que não a ajudou e esse é o motivo para Yujeong ter tanta raiva de sua mãe.
 Yunsu é um garoto que foi abandonado pela mãe e sofreu muito na mão de seu pai alcoólatra, ele só se mantinha forte por conta de seu irmão mais novo que precisava dele, mas por causa de alguns acontecimentos ele perdeu o irmão e isso transformou completamente a vida de Yunsu.
 Os dois personagens são extremamente tristes e dói no leitor ir descobrindo aos poucos as coisas pelo o que eles passaram, principalmente Yunsu e saber sobre o passado dos personagens faz com que o leitor consiga entendê-los e até seja cativado por eles.

"Vivemos em dois mundos diferentes. E, mesmo que exista um deus, esse deus só olha pelos ricos. Ele não mora aqui com a gente e não olha pra pessoas como nós."

 E durante a leitura do diário de Yunsu é impossível não pensar no quanto a vida pode ser cruel com alguém, pois ela foi com Yunsu, um garoto que desde que nasceu não tinha esperanças de uma vida feliz e acabou cometendo um crime odioso, mas com os relatos do diário dele, o leitor vai entender o motivo dele ter feito o que fez, mesmo que nada justifique.
 Yunsu e Yujeong vão acabar se aproximando por conta das visitas e isso irá mudar completamente a vida dos dois, e é muito bonito acompanhar tudo isso.
 Esse livro também fala sobre Deus e o poder que ele tem de mudar a vida das pessoas, mas também vai criticar alguns costumes de cristãos e questionar Deus, que é um ser tão bom, mas que permite que tantas coisas ruins aconteçam com algumas pessoas.


 A leitura do livro é muito fluída, pois o leitor vai ser envolvido desde o início pela história e ficará ansioso para saber mais sobre esses dois personagens que são tão humanos e errantes. Além disso, a forma como tudo é narrado também ajuda para que a leitura seja fluida, pois os capítulos não são longos e é uma narrativa direta.
 A diagramação do livro está simplesmente maravilhosa, começando pela capa que tem uma arte muito bonita e triste, assim como a história do livro. Já por dentro está tudo muito agradável, as folhas são amareladas e a fonte dos textos está em um ótimo tamanho, sendo que não há detalhes na troca de capítulos.

"Estar acostumado à traição não queria dizer que a traição não magoasse, e só porque alguém estava acostumado a cair, não significava que seria fácil levantá-lo novamente na próxima vez."

 Esse é um livro que me conquistou muito, porque ele conseguiu mexer profundamente comigo, me peguei extremamente emocionada em diversos momentos e eu sentia meu coração doer com tudo o que estava lendo, ou seja, eu fui realmente envolvida pela história desses dois personagens.
 E o mais interessante é que esses dois personagens não são extremamente cativantes, na verdade eles nem ao menos são cativantes, pois são humanos que passaram por situações tão difíceis que se transformaram em pessoas tristes e insensíveis, mas o leitor consegue entendê-los e por eles serem tão humanos, é impossível não ser tocado pela história deles.


 "Nossas horas felizes" é uma obra que eu conseguiu alcançar todas as minhas expectativas e ainda me surpreender muito, pois é um história que transborda sentimentos e que mexe de verdade com o leitor. 
 Enfim, esse é aquele tipo de livro que é impossível por em palavras o quanto me conquistou, só você lendo para saber mesmo o que essa história tem de tão especial, mas por tudo o que essa história me fez sentir e por tudo o que ela aborda, eu super recomendo a leitura para todos.

(livro recebido em parceria com a editora)

Deixe um comentário:

  1. Caraca. Te confesso que se eu não lesse a sua resenha eu nunca me interessaria pelo livro mas depois de ler eu com certeza quero ler. É algo bastante pesado e acho que algumas vezes só lendo coisas assim para a gente se centralizar em algo.

    Greice Negrini
    Blogando Livros

    ResponderExcluir
  2. Nunca mais julgo um livro pela capa, pois considerando a capa ser demasiadamente estranha eu não o leria, contudo a sua resenha me abriu os olhos para uma obra interessantíssima. Parabéns!

    Grande abraço,
    www.cafeidilico.com

    ResponderExcluir
  3. Ola
    pelo que pude compreender é uma obra bem impactante, e eu não imaginava que se tratava de algo relacionado. É a primeira resenha que leio a respeito e fiquei bem intrigada quanto ao conteúdo. Só o conhecia pela capa, e acho que agora o livro acabou de entrar para a lista de desejados.
    Beijos, F

    ResponderExcluir
  4. Não conhecia a obra, mas me interessei bastante. Gosto de leituras tensas e com temáticas que figem ao comum. Sim isso é meio excêntrico, mas... Adorei conferir sua resenha, já anotei o nome desse livro aqui para depois procurá-lo. Tomara que quando o ler goste tanto quanto você transpareceu gostar, bexitus!

    ResponderExcluir
  5. Oi, não tinha visto esse livro ainda, mas pela sua resenha não sei se quero ler ou não. Gosto de livros que me fazem refletir, mas esse parece mexer bastante com a gente e com temas que não me sinto muito confortável para ler, por mais interessada que tenha fcado, acho que ainda não conseguiria encarar um livro com estupro e suicídio sendo tratados...
    Tenho amigos que adoram a cultura coreana, dica anotada. Bjs

    ResponderExcluir
  6. Que delicia ler uma resenha de um livro que mexeu tanto com o leitor. Acho que quero ler e ter a mesma experiencia que você. sem falar que as fotos que você postou me deixaram com vontade de ter o meu exemplar em mãos agora.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Nossa se a resenha me deixou comovida, imagina ler o livro. Gostei bastante dos temas que foram abordados no livro, porém não sei se o leria neste momento. Estou a procura de livros mais leves, e esse parece ser um pouco difícil de digerir, se assim podemos dizer.

    Gostei muito da resenha, e concordo com vc, que apesar de ser uma capa com um tom triste, a capa diz mto com o conteúdo.

    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Olá...
    Adorei sua resenha!
    Acredita que nunca li um livro de um autor asiático? Achei engraçado esse fato e agora quero ler mais que tudo ;)
    Imagino que esse livro deve ser uma leitura bastante angustiante, pois, tem temas bastante pesados... Achei o enredo interessante e com certeza quero ler!
    Bjo

    ResponderExcluir
  9. Olá, eu tenho vontade de ler esse livro, ainda mais após ler sua resenha. É uma obra que aborda temas bem polêmicos e pesados, os dois narradores são personagens que passam por situações bem complicadas, mas acredito ser uma leitura marcante.

    ResponderExcluir
  10. Oie! Tudo bem?

    Guria quero esse livro, não conhecia a obra, mas achei a proposta dela muito boa e senti uma vontade enorme em realizar a leitura e conhecer mais de perto a história! Espero conseguir em breve!

    Bjss

    ResponderExcluir
  11. Olá, tudo bem?
    Não conhecia a obra, mas gostei muito da sua resenha.
    Adoro livros em que os personagens passam por muitas dificuldades e acabam "dando" a volta por cima, principalmente quando um entra na vida do outro para ajudar o próximo e a si mesmo.
    Dica anotada, um beijo.

    ResponderExcluir
  12. Oie! Eu lembro que fiquei muito curiosa para conhecer essa história quando vi o lançamento, mas acabei deixando passar e agora estou decepcionada, hah. Parece ser uma leitura incrível e impactante. Acredito que eu também ficaria um bom tempo refletindo, mesmo depois de finalizar a leitura. Adorei a resenha e agora fiquei ainda mais ansiosa para conhecer o enredo completo e saber mais sobre o destino de cada um deles. Pelo que vi na sinopse, o final não é tão feliz assim, mas mesmo assim quero descobrir lendo.

    Beijos,
    Fernanda F. Goulart

    ResponderExcluir
  13. Hey Larissa, tudo bem?
    Ainda não conhecia esse título, mas achei ele muito interessante pela forma como te encantou. Quando você disse que os personagens não são cativantes fiquei preocupada, mas aí entendi a grandiosidade disso na obra e notei que isso vai me encantar muito, como aconteceu com você.
    Vou super anotar a dica, pois sua resenha me convenceu!
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  14. Olá!
    Eu não conhecia esse livro, as vezes gosto de pegar um livro mais "forte" e esse parece uma ótima indicação.
    Ele fala sobre a pena de morte, essas coisas, eu não li nada disso e fiquei bem curiosa.
    Parabéns pela resenha

    Beijos
    Leitora Dramática
    https://blogleitoradramatica.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Oiiii tudo bem???

    Tenho muita relutância a ler livros com temática chinesa, coreana, japonesa e etc. São poucos os que cativam minha atenção como foi o memoria de uma gueixa, ou o da Lucinda Riley, que esqueci o nome agora hauahuaha, mas nossas horas felizes foi um desses livros, tenho muita vontade de iniciar a leitura dele.
    Sua resenha só me animou ainda mais.
    Bjs Rafa

    ResponderExcluir
  16. Oi!
    Não conhecia esse livro, mas só pela sua resenha já da pra perceber que não é um livro fácil de ser lido pelos temas que ele trás, principalmente o da pena de morte, imagino que deva ser difícil para a freira visitar essas pessoas e tentar trazer paz pra elas horas antes de elas serem mortas pelos crimes que cometeram e não julgar em momento algum.
    Enfim, anotei essa dica com certeza, porque por mais que seja um livro pesado me despertou muita vontade de ler

    ResponderExcluir
  17. Olá tudo bem?
    Este é o meu primeiro contato com livro e estou bastante intrigada apenas com sua resenha. Você disse que é uma leitura fluida e estou pensando em como isso é possível já que ele traz esses temas tão pesados. Fico me imaginando no lugar de cada um e sei que a leitura vai ser bem pesada para mim. Mesmo assim, vou tentar.
    Adorei sua resenha.
    Bjs

    ResponderExcluir
  18. Oi, Lari!
    Confesso que leituras pesadas e com muita carga emocional e temas difíceis não costumam me cativar tanto porque tenho mais dificuldade de digerir narrativas do tipo. Não sei se seria um livro que leria, no momento não é o tipo de leitura que tem despertado meu interesse.

    Beijos,

    Rafa [ blog - Fascinada por Histórias]

    ResponderExcluir
  19. Se eu visse esse livro numa livraria não imaginaria que seria esse o conteúdo. Não sei se leria no momento porque tudo que envolve estupro me deixa muito abalada, mas é um livro pra se guardar o nome.
    www.belapsicose.com

    ResponderExcluir
  20. Oi. Esse é um livro que eu não sabia nada sobre ele. Já tinha visto a capa,mas nunca parei para ler a sinopse. Parece ser bem legal e pela sua resenha pude ver que se trata de uma boa leitura. Vou marcar o nome e tentar comprar da próxima vez.

    ResponderExcluir
  21. Oie!!
    Nossa mas que livro diferente.. fiquei realmente intrigada e espantada primeiro porque a capa é fantastica e ele ser escrito por uma autora coreana? Que diferente!
    Sua resenha está impecável e extremamente apaixonada, mas infelizmente acho que esse livro é muito forte para mim e atualmente estou evitando ler esse tipo de história.

    beijos
    Livros & Tal

    ResponderExcluir
  22. Ola Lari,

    Eu li toda a sua resenha, mas fiquei meio confusa com o intuito principal da obra, se eu entendi da forma correta, a autora tinha o objetivo de fazer uma contraposição entre o suicídio e a pena de morte?
    Se for realmente sobre isso o tema é bem complicado, e fiquei bem interessada em saber como a leitura pode ser tão fluida apesar do tema pesado e dos personagens não cativantes.
    Fiquei bem interessada na história, muito obrigada pela dica, vou colocar na minha tbr.

    Beijos e obrigada pela resenha!
    http://floraliteraria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

 
Criado por: Bruna Borges || Todos os direitos reservados || Tecnologia do Blogger